Iasmin? Aí vou eu!

16:35:00


 Quando imagino meu futuro tão sonhado, me questiono sempre se vou mesmo conseguir alcançá-lo. Sabe quando parece algo impossível aos seus olhos, algo que está estampado em todo canto, que não é?

 Aquela força que eu tento achar em mim, que teria o dever de me impulsionar para frente, e me  levar a realizar tudo o que desejo, e todos os planos que tenho, nem quer me dar o prazer da sua presença. A frustração sim, tem sido minha companheira.

 É que me toquei de como as coisas precisam ser para me levar onde quero. Entendi que quem faz meu futuro, e quem trará minhas conquistas, é ninguém além de mim. Mas com isso, um peso gigante começou a me pressionar para baixo. Sabe quando as coisas acontecem da maneira que a vida cobra, e não como a gente quer? Pois é. Nada tem sido como quero, como planejo,  e quando começo algo que talvez me ajude, de longa data, a seguir como quero, algo atrapalha.

 Sendo assim, infelizmente, toda a mínima esperança que um dia surgiu dentro de mim, foi se apagando aos poucos, como se eu devesse mesmo seguir a vida como ela está. Me conformar. Porque nada dá certo. Nada do que faço, vinga. A minha baixa auto estima piorou, a fé no meu potencial desapareceu, e  agora, cá estou eu me sentindo perdida.

 Leio muitos textos motivacionais, desses que encontro em blogs que disseminam o feminismo, e transformam a internet em uma onda maravilhosa de empoderamento. Sempre me sinto bem quando os leio, e acredito que talvez haja um poder escondidinho aqui dentro, que me fará ser a mulher que quero ser. Mas percebi que nem mesmo me conheço.

 Não conheço a pessoa mais importante da minha vida! Não consigo me entender, amar, empoderar. Sempre tento buscar o tão almejado e famigerado autoconhecimento, mas é tão difícil, e eu não estou conseguindo. Só encontro vazio, quando tento me buscar. Tenho uma ideia do que quero ser, mas do que sou? Nadinha. Aí só me sobra culpa, e frustração.

 Porém, andei pensando, e acabei transformando isso em algo um pouco poético. É que sempre dizem por aí, que as viagens engrandecem a alma e te tornam pessoas melhores, e experientes. Eu decidi embarcar em uma. Mas não falo das viagens comuns, para outras cidades, culturas, e países. Mas sim de uma viagem por aqui, dentro de mim. Uma viagem digna de livros e produções cinematográficas. Uma aventura pelo interior do meu ser. Uma viagem de autodescoberta. Quero mergulhar em mim, para finalmente  entender o que sinto, o que realmente quero, o que gosto e me interessa. Tudo o que faz eu ser... "eu".

 Com isso, espero um dia conseguir dizer ao medo que não o escuto mais, e que vivi experiências incríveis sem ele. Olhar no espelho e reconhecer quem sou, lembrar dos defeitos, mas perceber as qualidades que a um tempo atrás haviam sido perdidas. Entender que tudo bem ter passado por esses dias, meses, nublados, porque tudo se resolverá - e eu vou brilhar, por ter me preenchido, por ter me tornado inteira.

 Acredito que será a viagem mais importante, difícil, e marcante da minha vida. Mas trará paz, autoconfiança, liberdade e felicidade. Já me livrei -de boa parte- das amarras da sociedade. Faltam as minhas.


  Então, estou me despedindo agora. Volto quando me sentir completa.


 ¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨
  Este foi mais um post do projeto #umafotoumahistória, em parceria com a Renata, do blog Lovely Place. Não se esqueçam de dar uma olhadinha no post dela!
  *Peço desculpas, mais uma vez, pelo atraso. Tem sido dias difíceis.
Um abraço apertado, e até a próxima! <3

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Facebook

Instagram